10 alunas participaram da Oficina Solidária de Culinária/ Foto: Ednaldo Lourenço (SECOM)

Alunas aprenderam a preparar pratos inusitados, como parmegiana feita da casca da banana e farofa com casca de cebola

10 alunas participaram da Oficina Solidária de Culinária em Reaproveitamento de Alimentos, promovida pela Prefeitura de Gravatá, por meio da Secretaria de Assistência Social e Juventude, na tarde da segunda (23), na Cozinha Comunitária do CAIC.

Entre os ingredientes trabalhados, estavam as cascas da banana e da cebola, que deram origem a uma parmegiana para ninguém botar defeito e uma farofa muito saborosa, respectivamente.

Além desses dois ingredientes inusitados, outro destaque foi o hambúrguer feito com sobras de vinagrete, arroz, ovo e o conhecido pão “dormido”, que foi transformado em farinha de rosca para fritar o hambúrguer inovador.

(Josefa Leandra – Dona de casa)

A dona de casa Josefa Leandra foi uma dessas alunas e falou sobre a experiência. “Fui informada dessa oficina pelo CRAS IV, e como eu amo culinária, resolvi participar, como nas outras vezes. Se eu pudesse, faria o curso de gastronomia, mas como eu não posso, é uma grande oportunidade esses cursos, porque vou fazendo algumas coisas em casa e vou vendendo, pois é uma renda extra para mim. Uma das coisas interessantes nessa oficina foi o reaproveitamento dos alimentos, pois tudo o que vai para o lixo a gente pode reaproveitar e pode fazer pratos fascinantes. Agradeço à Prefeitura e ao professor Ivan, pois eu sempre falava que deveria dar oportunidade para as donas de casa fazerem um curso para aprender a fazer alguma coisa, pois muitas pessoas não sabem ler, nem escrever e não podem entrar nas grandes empresas para desenvolver algo que saibam fazer”.

(Ivan Vilar – Professor de gastronomia)

A aula foi ministrada pelo professor Ivan Vilar, que tem longa experiência no mercado gastronômico e deu dicas preciosas de reaproveitamento às alunas. “Hoje eu trouxe uma nova receita, que foi o hambúrguer com sobras de muitos ingredientes que vamos acumulando na geladeira do preparo da comida do dia a dia. Trabalhamos especificamente cinco receitas, como a farofa da primeira casca da cebola, que libera mais sabor, inclusive. A finalidade dessa aula foi trazer um entendimento para elas não jogarem mais nada fora e o meio ambiente também agradece. Esse projeto já tenho há sete anos, em parceria com a Tambaú, e no final de setembro iremos abrir uma escola de gastronomia, sem fins lucrativos. Vamos ter muitas novidades, em parceria com a Prefeitura e, como diz o lema do prefeito Joselito, que tem compromisso com as pessoas e nada melhor do que cuidar com o alimento e geração de emprego e renda”.

A oficina teve o apoio dos produtos da Tambaú.

Reportagem: Ana Paula Figueirêdo
Fotos: Ednaldo Lourenço (SECOM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui